7 de abr de 2012


PROGRAMA: ADORAÇÃO E LOUVOR (1º programa) 31/03/2012.






DIREÇÃO: MAESTRO IVAN
COMENTARISTAS: PAULO ANDRADE E RANILSON LEMOS



TEMA DO DEBATE: O LÍDER/SERVO
TEXTO BÍBLICO: Rm 1:1 “Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para ser apóstolo, separado para o evangelho de Deus”.

No dia 31 de Março de 2012, às 22hs até 0hs. O programa Adoração e louvor atende uma grade composta: História dos hinos da harpa cristã, técnicas vocais e debates teológicos.
O irmão Ranilson Lemos iniciou o debate enfatizando que o nosso objetivo é levantar assuntos até então esquecidos no meio evangélico e em seguida levantou alguns pontos concernentes ao que significa ser servo de Deus pela Bíblia?
O professor Paulo Andrade, em seguida apresentou o contexto histórico da carta de Paulo aos Romanos;
A cidade – a capital do império romano justificava sua prerrogativa de ser a cidade principal, maior que Atenas, Alexandria e Antioquia. Embora situada na parte ocidental do mundo romano, ela tinha ligações íntimas com as áreas mais remotas.
Durante o primeiro século da era cristã, havia mais de 1.500.000 pessoas em Roma, das quais 800.000 eram escravas.
A riqueza e a cultura romana exigiam uma multidão de escravos domésticos. A escravidão foi uma prática comum nas sociedades antigas.
Bem, o apóstolo dos gentios se apresenta como servo na carta aos romanos. Qual o significado de servo neste contexto? Afinal de contas, Paulo, era um apóstolo. O que ele queria dizer ao se utilizar do termo?
No contexto, o termo servo, vem do grego doulos(s) que significa “aquele que é de propriedade de outrem”. O crente que voluntariamente assume a posição de escravo de Cristo não tem direitos ou vontades próprios. Faz sempre e somente a vontade do seu Mestre.
Ao analisarmos o termo servo na língua grega, destacamos também o vocábulo muito conhecido no meio evangélico:
Ministro (em 1Co 4:1) nesta passagem é no grego DIÁKONOS (ks) ocorre 29 vezes no N.T. Segundo o lexicógrafo J.H. Thayer pode apresentar as seguintes possibilidades de tradução:
  1. Servo: Mt 20:26;
  2. Garçon: Jo 2:5,9;
  3. Ministro: Rm 13:4;
  4. Auxiliar: 2Co 6:4;
  5. Oficial: Fp 1:1.
Após, a apresentação do contexto histórico e etimológico, levantamos algumas indagações sobre a concepção atualmente de “servir” no que diz respeito às atribuições eclesiásticas. Então, vejamos:
  • Ministério eclesiástico: subir ou descer a escada? Frequentemente o ministério é interpretado como sendo uma escada para cima, onde os que servem são vistos numa posição cada vez mais elevada em relação aos demais. É nesse ponto que pode surgir os chamados “astros” do cristianismo. Ou seja, emergem aqueles que movidos por concepções equivocadas, buscam desenfreadamente o “status”, o título, posição e o benefício do poder. Mas, será que esta forma de encarar o ministério eclesiástico tem respaldo o bíblico?
  • Em Mt 20:26,27 : o texto retrata o episódio em que os discípulos discutiam sobre quem dentre eles, deveria ocupar o primeiro lugar. Nos dias atuais, é percebível o quanto, o título, a posição tem sido almejada por muitos que por vezes, não atendem as prerrogativas neotestamentárias. Certa vez, Jesus disse: “qualquer que entre vós quiser se tornar grande, será esse o que vos sirva; e qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, será vosso servo”.
  • Entendemos que o ministério é uma escada para baixo. Quanto mais descemos, mais desaparecemos; quanto mais desaparecemos, mais diminuímos; quanto mais diminuímos, mais Cristo cresce. Quanto mais Cristo cresce, mais condição temos de servir!
  • A visão bíblica de ministério eclesiástico reprova aqueles que tratam suas igrejas como se fossem meras empresas. E ainda, aqueles que são dominadores, autocratas, e que perseguem os membros que não compartilham de seus pontos de vista. Tratam o rebanho como se todos fossem seus subalternos.
Para tanto, o contexto geral das Escrituras, apresenta o ministério eclesiástico como sinônimo de “servir”.

Um comentário:

Nayara disse...

Professor clique aqui:
http://nayaramaranhaoborba.blogspot.com.br/2012/06/mediocridade-do-ensino.html
Eu espero sinceramente que esse grande desapontamento passe e transforme-se em admiração!
Um abraço da mana e aluna.